sábado, 6 de junho de 2009

JOY DIVISION

Há algum tempo estou pensando em escrever um post sobre uma banda UK do final dos anos 70 (existiu entre 1976 e 1980) chamada JOY DIVISION. Fico triste por não ter conhecido essa maravilhosa banda em atividade, afinal, teria tudo a ver para alguem na faixa dos 17-19 anos. Mas enfim, só recentemente, acabei sendo levado a conhecer o Joy Division graças a uma pesquisa sobre as influências musicais que fizeram a cabeça do Renato Russo.


Joy Division, 1979, Stockport-UK, Photo © Paul Slattery
Esq.-Dir.: Bernard Sumnerd (guitarra), Ian Curtis (vocal), Peter Hook (baixo) e Stephen Morris (bateria)
http://www.enkiri.com/joy/pics/jd_stockport79_street6.html

Me pergunto por que o Joy Division passou, assim, em branco para mim. Acho que a explicação está (entre outros aspectos) no fato de que eles não chegaram a ser propriamente um sucesso mundial - não houve tempo para isso.... infelizmente! Assim, só aquele pessoal mais antenado com o cenário musical ficou conhecendo o Joy Division na época.

O Joy Division só gravou dois albuns: Unknown Pleasures 1979 e Closer 1980. A razão para a banda ter durado tão pouco deve-se ao suicídio do seu vocalista Ian Curtis que se enforcou em 18-Maio-1980 próximo de partirem para uma turnê nos USA, quer dizer, quando estavam a caminho do topo.

O Joy Division pode ter influenciado o Renato Russo mas, não espere algo parecido com o som do Legião. Da mesma forma, o Joy Division foi influenciado entre outros por Velvet Underground e Kraftwerk mas desenvolveu um estilo proprio que resultou num trabalho que a mim me agrada mais que o de suas influências.

Ian Curtis era a alma do Joy Division. Uma alma triste e perturbada que usava a música para se expressar e que se ajustou com perfeição a um período pós-punk no UK quando uma certo momento depressivo parecia pairar sobre a juventude.


Ian Curtis, Plan K, Bruxelles, 1979, Photo © Philippe Carly
http://www.enkiri.com/joy/pics/ic_brussels79_pl_k1.html



Esqu. Ian Curtis, Queen's Hall, Leeds, 1979, Photo © Robert Ellis
http://www.enkiri.com/joy/pics/ic_leeds79_qu_ha2.html
Centro. Ian Curtis, Queen's Hall, Leeds, 1979, Photo © Kevin Cummins
http://www.enkiri.com/joy/pics/ic_leeds79_qu_ha1_f.html
Direita. Ian Curtis, Mayflower Club, Gorton, 1979, Photo © Paul Slattery
http://www.enkiri.com/joy/pics/ic_gorton79_ma_cl1_f.html

Todo o trabalho que eles deixaram é algo fantasmagórico - realisticamente fantasmagórico, que fala do tormento da alma ... de arrepiar... A presença de palco do Ian Curtis por sua vez é de uma naturalidade e sinceridade impressionante. Como "marca registrada" ele tinha um jeito de dançar descoordenado (que dizem era devido a sua epilepsia) - o Renato Russo por sinal copiou isso. O Joy Division era assim, mais que uma banda entre outras que tocava um som legal, o Joy Division era uma experiência, algo expontâneo sem nada coreografado.


Video com o Joy Division interpretando a canção "Transmission" (começa em 12 s)
http://www.youtube.com/watch?v=orQ73TOhfMQ&feature=related

O suicidio do Ian Curtis sé sem dúvida o lance trágico nessa história toda e que nos faz refletir sobre o que o levou a isso. Existem diversas hipóteses, mas para mim a mais plausível, pelo menos como parte da explicação deve-se a um estado depressivo no qual ele vivnha vivendo um momento de grande tormento existencial, algo bem complexo.

Mas o som do Joy Division é muito melódico, embora complexo, com uma batida contagiante, uso de sintetizadores, um baixo marcante, a voz de Ian Curtis e acordes de guitarra simples e hipnóticos.



Ian Curtis, The Moonlight Club, London, 1980, Photo © Peter Anderson
http://www.enkiri.com/joy/pics/ic_london80_mo_cl2_f.html

Bom... é isso! Escutem o som do Joy Division (Unknown Pleasures, pra começar) mas façam isso quando tiverem tempo, calma e disposição para tal. Mas, se voce é fã de axé, nem tente!

Links recomendados:

7 comentários:

Daniel Marques Rodrigues disse...

Obrigado João!

De facto tentei fazer um comentário daquele que foi concerteza um dos álbuns mais inluentes da historia da musica, mas reparo que fez um post muito mais abrangente daquilo que foi o fenomeno Joy Division. São importantes testemunhos como este não esquecer o que foi este fenomeno até para ajudar a compreender o que foi a musica na decada de 80. Parabens pelo post! Já adicionei o seu blog a lista dos meus blogs recomendados.
Cumprimentos e continuação do bom trabalho!

João Pimenta disse...

Agradeço pelo seu gentil comentário Daniel.
Abraço!

Anônimo disse...

Não tinha internet, my space, piratebay nem torrent.

Sangs disse...

Conheci Joy Division através do New Order, que é a banda remanescente após o fim do Joy. Despertou-me grande interesse por esta banda que misturava rock com som eletrônico. O Joy já tinha esta mistura. Não sou expert no assunto, mas havia essa mistura. Como João mesmo comentou em seu artigo: Ian Curtis tinha epilepsia. Mas sua dança frenética realmente era natural. Dizem que em algumas apresentações ele tinha ataques violentos e os expectadores pensavam que fazia parte do show. Em um dos documentários da banda, um dos homens ligados a eles, provavelmente da Factory (gravadora da banda),disse que eles seriam uma espécie de The Beatles. Baseado nisso. Nos vários problemas que a banda enfrentou. E mesmo assim demonstrando em tão pouco tempo ao mundo o que eram capazes os 4 juntos, dá para ter uma boa idéia do que eles seriam no futuro. Para mim essa é a parte ruim da história. Ficar só na imaginação do que eles seriam ainda capazes de fazer com o talento que tinham em mãos.

Luciana disse...

NOssa cara! eu estava pesquisando sobre Joy division, devido ao New Order, foi entao q sem saber de nada, qdo ouvi e vi eles no video, me veio na cabeça Legião Urbana na hora! Pensei assim: com ctz Renato Russo se inspirou neles! Ai pesquisei Joy Division + Renato Russo e veio esse teu post, caindo como uma luva no que eu havia pensado! Muito legal meu!! abracao!

Rafael Souza disse...

Os movimentos do Renato Russo me lembram mais o Morrissey do The Smiths do que o Ian Curtis...

Anônimo disse...

As influencias sao fortes com relacao a isto , pois nesta epoca renato estava comecando , adiquirir um estilo proprio .